Legado é um termo que vem do latim, legatum, que significa doação por testamento. No dicionário de língua portuguesa, legado define-se como “aquilo que se se deixa por testamento a quem não é herdeiro forçoso ou principal.” É isto que a Bacardi pede aos concorrentes da Bacardi Legacy, que criem um cocktail que seja um legado para toda a comunidade de Bartenders. Já o faz em 37 países, e para o ano vai fazer também em Portugal.

A Bacady Legacy foi lançada em 2008 pela equipa responsável pela marca no Reino Unido. Nos últimos anos cresceu de tal forma que hoje em dia, na sua sexta edição, conta com a participação de 37 países e é tida como uma das mais conceituadas competições de cocktails no mundo, contando com a participação da elite de Bartenders mundial.

3N4A1908Lançada com a intenção de incentivar os Bartenders a criar cocktails capazes de se tornarem num clássico moderno a Bacardi Legacy é mais que uma competição de cocktails, é uma competição que ao longo de muitos meses incentiva os concorrentes a desenvolver uma campanha de marketing à volta da sua criação.  Não é apenas a bebida, é a história que envolve o cocktail e a capacidade do criador de levar o cocktail até outros Bartenders e ao consumidor.

A Bacardi Legacy desenrola-se como um campeonato em que cada país participante organiza as etapas regionais, onde se apuram os finalistas nacionais dos quais são escolhidos os três mais promissores. Ao fim da campanha de promoção cada país elege um vencedor que segue para a grande final global entre os vários países participantes.

Este ano a final do sul da Europa aconteceu em Portugal e juntou quatro países: Espanha, França, Grécia e Itália. O evento aconteceu no restaurante Petit Palais no dia 1 de março e juntou nomes sonantes da indústria em Portugal.

Este foi também o momento para a Bacardi lançar o concurso em Portugal, dando assim aos Bartenders portugueses a oportunidade de se juntar à elite internacional, representando o seu país.

Existem já nomes portugueses inscritos na história da Bacardi Legacy. Nélson Bernardes foi um dos três mais promissores no Reino Unido na edição de 2013, este ano António Oliveira veio defender o seu cocktail representando a França e até em destinos mais longínquos como o Dubai existe um português nos três mais promissores, João Sério.

Bacardi: O legado

Construir um legado que permanece muito depois de nós já não estarmos cá é um desejo intímo de todos nós. Mas o nosso legado também tem de ser acarinhado pelos que o recebem, para que permaneça, cresça e ganhe significado. A família Bacardi é um exemplo disso mesmo, de capacidade de cultivar uma história com mais de 150 anos e construir um império que detém o título de maior companhia privada de bebidas destiladas detida por uma família.3N4A1941

São sete gerações a trabalhar para a prosperidade de uma ideia que Don Facundo Bacardi teve no final do século XIX.

Quando este catalão emigrou do porto de Sitges, uma localidade a sudeste de Barcelona, para Santiago de Cuba ia a meio o século XIX e Espanha era ainda uma potência colonial em expansão.

Nas décadas que se seguiram, este emigrante que chegou com mais dois irmãos a Cuba sem nada, haveria de trabalhar arduamente enquanto comerciante e marcar a história de Cuba no século seguinte.

Olhemos para a história:

1814 – Nasce Facundo Bacardí Massó em Sitges, Espanha.

1830 – Facundo Bacardi Massó emigra para Cuba, tinha 14 anos e nas próximas décadas iria prosperar enquanto comerciante de vinhos e outras mercadorias.

Meados do Século: Don Facundo entra em contato com o chamado “vinho de açúcar”, um nome dado à aguardente obtida da cana de açúcar. Por esta altura o Rum era tido como uma bebida capaz de curar doenças e exorcizar demónios do corpo, mas tinha um paladar agressivo e péssima qualidade.

Don Facundo cria então uma fórmula secreta de um rum encorpado, mais suave e mais agradável em termos de sabor. Inicialmente fá-lo para consumo próprio, mas dá a provar a familiares e amigos que atestam a qualidade e o levam a pensar em montar o negócio.

1862 – A 4 de fevereiro, Facundo Bacardi Massó comprou por 3.500 pesos uma pequena destilaria em Santiago de Cuba e fundou empresa Rum Bacardí y Compañia.

1876 – Apesar da companhia lutar para sobreviver no meio da Guerra da Independência de Cuba, o Rum conquistou a medalha de ouro na Exposição da Filadélfia, nos E.U.A.

1878 – Don Facundo aposenta-se e passa a direção da Bacardi ao seu filho Emílio e o segredo da produção do Rum a outro filho, Facundo.

1898 – Cuba ganha a Guerra da Independência contra Espanha e a popularidade de empresa cresce.

1900 – Um grupo de soldados americanos de folga em Havana pediu um Bacardi com coca-cola, gelo e lima fresca e brindaram à liberdade de Cuba, cunhando o nome do famoso cocktail Cuba Libre.

1910 – O Engenheiro americano Jennings Stockton Cox misturou rum, lima fresca e açúcar e criou o famoso Daiquiri. Ainda nesse ano o Rum Bacardi foi engarrafado pela primeira vez fora de Cuba, na fábrica recém-aberta de Barcelona dando inicio á expansão internacional.

1920 – Inicia-se a Lei Seca nos Estado Unidos da América o que representa um revés para a empresa que era agora internacional.

3N4A20511922 – Emílio inaugura nova destilaria em Santiago de Cuba

1930 – Henri Schueg, cunhado de Emílio, que assumiu o comando da empresa após a sua morte, inaugura o edifício Art Deco em Havana. Cuba era agora o paraíso para os turistas norte americanos que procuravam a ilha para fugir da Lei Seca e consumir álcool, apostando nos cocktails com a assinatura da Bacardi.

1931 – É inaugurada a fábrica no México.

1945 – Após o término da Segunda Guerra Mundial, a empresa constituíu um escritório na cidade de Nova York para atender exclusivamente o crescente mercado americano.

1958 – Abre a fábrica em Porto Rico, conhecida como “A Catedral do Rum”, considerada atualmente a maior do mundo.

1959 – Fidel Castro assume a liderança de cuba e nacionaliza o património da Bacardi obrigando a família a exilar-se nos Estado Unidos da América.

Década de 1960 – Com o regime Político de Cuba a voltar à esquerda, a empresa sofreu novo revés. Para além de se ter exilado no estrangeiro teve de relocalizar toda a sua produção com instalações nas Bahamas, Canadá, Brasil, Estados Unidos e Espanha. Nesta década a Bacardi viu-se obrigada a mover vários processos contra Cuba que ao se apoderar dos meios de produção da Bacardi, tentou vender o Rum.

Década de 1970 – O Rum Bacardi era a marca líder de mercado a nível mundial.

Década de 1990 – A Bacardi lança uma série de novos produtos no mercado, como Rum misturado com sabores de fruta e uma linha de cocktails pré-feitos (Daiquiri, Pinã Colada e Margarita)

1993 – A Bacardi compra a Martíni, empresa italiana conhecida pelo Vermute.

2008 – A Bacardi lança a competição de Cocktails a Bacardy Legacy.

2012 – A Bacardi comemorou 150 anos de história e convidou oito dos Maestros de Rum ainda vivos, todos eles membros da família Bacardi, para criarem uma edição limitada de Rum a que chamaram Bacardi de Maestros de Ron Vintage, MMXII.  Uma mistura de Runs com mais de 20 anos e que foi finalizada em barris antigos de Cognac com 60 anos.

2016 – As finais nacionais dos países do Sul da Europa (França, Itália, Grécia e Espanha) realiza-se em Portugal. É anunciada a realização da Bacardi Legacy Portugal.

Bacardi a marca do morcego

O logotipo da Bacardi é desde a sua fundação, em 1862, até aos dias de hoje marcado pela imagem de um morcego preto.

 

bacardi icones evolution

Evolução do Logotipo da Bacardi.

Reza a história familiar que Dona Amália Lúcia Moreau, esposa de Don Facundo, é a responsável por esta escolha. Foi ela que notou a existência de uma colónica de morcegos da fruta a viver nas vigas da primeira destilaria. Dona Amália era uma mulher supersticiosa e os morcegos tinham um significado especial, dizia-se que traziam saúde, sorte e união familiar. Esta escolha ajudou também a disseminar a marca, pois nessa altura a taxa de analfabetismo era bastante alta e havia que criar uma imagem que fosse fácil de memorizar. O Rum passou a ser conhecido como o Ron del Murciélago, ou o Rum do morcego.

 

 

 

Bacardy Legacy 2016 : A caminho de São Francisco

bacardilegacy

O caminho para São Francisco, onde será realizada a grande final da sexta edição da Bacardi Legacy passou por Portugal. O Petit Palais by Oliver foi o palco escolhido pela organização para realizar as finais dos países do sul da Europa: Espanha, França, Grécia e Itália.

A competição realizou-se no dia 1 de março e em representação de França estava o português António Oliveira com o seu cocktail Paradise Daiquiri.

O programa teve a duração de dois dias e deu a oportunidade aos concorrentes de conhecerem diversos espaços em Lisboa, tais como o Red Frog Speakeasy Bar, a Taberna 1300 na Lx Factory ou o Corinthia Hotel.

Lisboa foi a capital europeia do rum por dois dias e estiveram presentes diversos membros da Bacardi, entre eles Dickie Cullimore Global Brand Ambassador, Franck Dedieu vencedor da Bacardi Legacy em 2015, Xaris Darras e Daniele Dalla Pola.

A família Bacardi esteve também representada por Adolfo Comas e seus pais, descendentes diretos do fundador da empresa e que fizeram questão de vir a Portugal falar da história da sua família e do conceito da Bacardi Legacy.

Em Portugal sagraram-se quatro campeões nacionais que seguem para a grande final que acontece em abril, em São Francisco nos Estados Unidos da América.

 

 

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter