Todas as estações são boas para beber cerveja, seja qual for a cerveja! Mas tal como os diversos estilos de vinho se adequam melhor a determinadas temperaturas, também há estilos de cerveja que sabem melhor no inverno do que no verão. Quer seja pelas temperaturas adequadas para o seu consumo, pela intensidade de sabor ou pela sua capacidade de nos aquecer ou refrescar a alma.

Se no verão um Pilsner fresca ou uma IPA fazem as delícias de muitos, no inverno quer-se sabores mais intensos, cervejas com mais estrutura como uma Barley Wine.

Podemos então afirmar que há estilos de cerveja artesanal que melhor se adaptam aos serões frios de inverno.

Fomos falar com Bruno Aquino, passamos pela Cerveteca e espreitámos outras lojas de cerveja pelo país para o ajudar a perceber que estilos de cerveja vai encontrar nas prateleiras nesta estação. Afinal, que cervejas devemos beber no inverno?

Christmas Beer – Já está um pouco off season, que já passamos o dia de Reis. Não é propriamente um estilo reconhecido, mas muitas cervejeiras a fazem pela altura do Natal. Variam muito, desde claras a mais escuras, com muito caramelo ou com adição de especiarias. As mais típicas são as Xmas Beer belgas, muito encorpadas, alcoólicas e com boas doses de malte, e as Xmas Beer americanas, muitas vezes carregadas de especiarias como canela, noz moscada e cravinho. Este ano a Sovina lançou a Christmas Ale, uma cerveja forte e densa, condimentada com especiarias e fermentada com mel biológico, multifloral de urze e castanheiro. Esta é uma cerveja sazonal e a Sovina promete uma receita diferente todos os anos para celebrar o natal.

Barley Wine – Ou “o vinho de cevada” um estilo de cerveja artesanal popular em Inglaterra e que tem conquistado o mundo. A portuguesa Maldita Wheatwine ganhou em 2016 o prémio de Melhor Pale Barley Wine do Mundo no World Beer Awards. A nível internacional não podemos deixar de mencionar a Anchor.

Imperial Stout – Esta é uma Stout ainda com mais corpo e mais intensa, escura e forte um estilo que foi criado no século XVIII pela cervejaria de Thrale em Londres para a exportar para a Imperatriz Catherine II de Rússia. Em 1781 a cervejaria mudou de mãos e a cerveja ficou conhecida como Barclay Perkins Imperial Brown Stout. Mais tarde a cerveja foi rebatizada Coragem Império Russo Stout (IRS). É uma cerveja com um elevado teor de álcool, geralmente mais de 9% abv. Temos exemplos produzidos por cervejeiras portuguesas, a Imperial Stout By Pedro Sousa e a Mean Sardine Blommer Madeira.

Winter Warmer – São cervejas alcoólicas, tendencialmente doces e com uma forte presença do malte, tanto no corpo como no sabor. A cor varia entre vermelho acastanhado e um preto escuro. Geralmente tem a amargura do lúpulo é baixa e equilibrada. Algumas versões inglesas levam especiarias.

Pumpkin Beer ou uma Spiced Beer – As cervejas de abóbora surgem muitas vezes associadas ao Halloween e bebidas entre o Halloween e o Natal. Apesar de já estarem off season, são cervejas muito características do tempo frio. Mais uma vez não se trata de um estilo mas de cervejas com algumas características comuns, neste caso o uso de abóbora e em geral de especiarias. A Toira, cerveja artesanal da anadia lançou a Toira Pumpkin & Carrot pela altura do Halloween e na Cerveteca podemos encontrar a Flying Dog Gourd por exemplo.

Doppelbock – Esta cerveja é uma refeição servida num copo. É uma Bock a dobrar, com muito malte, bom corpo e forte em álcool que varia entre os 7% e os 12% ABV. É geralmente uma cerveja escura e tem um aroma intenso a malte, com notas tostadas. A Alemanha produz bons exemplos deste estilo, sendo possível encontrar em Portugal a Doppelbock.

Old Ale – As Old Ale são um clássico Inglês produzidas nos meses frios. São cervejas escuras e maltadas com um ABV superior a 5%. Tradicionalmente era guardada por um ano o que lhe atribuía o seu sabor característico.

Strong Dark Ale – Quando comparada com uma Belgian Strong Ale, a Dark Strong Ale é uma bebida mais escura, com maior presença de malte e um sabor menos frutado. Tem uma espuma densa e cremosa e persistente. Acompanha pratos complexos, substituindo o vinho. Tem um elevado teor alcoólico, cerca de 9%, como a Condestável da cervejeira D’Ourique que venceu a medalha de ouro no Ibeerian Awards em 2016.

Robust Porter –  O estilo Robust Porter refere-se a uma cerveja escura que tem um agradável sabor amargo e um elevado teor de ácido carbónico, é uma cerveja robusta que pode ter até 12% ABV. Historicamente está associada aos estivadores dos portos londrinos, que bebiam muito esta cerveja porque matava a sede e alimentava. Quer-se cremosa, com espuma densa e persistente e acastanhada. A Oitava Colina produz a Zé Arnaldo um Robust Porter e a Maldita também tem uma Robust Porter.

 

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter