Canchanchara é o nome dado a uma mistura de Rum cubano, limão, mel e água, popular no século XIX em Cuba e que pode ter precedido o Daiquiri.

É comummente aceite que o criador do Daiquiri foi o engenheiro americano Jennings Stockton Cox, que estava em Santiago de Cuba em expedições de exploração de minas de ferro. Jennings estava a trabalhar na zona de Sierra Maestra, no sudeste da ilha onde existe uma pequena povoação chamada Daiquiri.

Entre as muitas regalias que a posição lhe garantia, estava uma ração mensal de Rum Bacardi Carta Blanca. Jennings reparou que os locais misturavam o Rum com o seu café e começou a fazer experiências.

Daqui a história tem duas versões. Uma conta que Jennings e outro Engenheiro de nome Pagliuchi, resolveram fazer uma bebida com os ingredientes que tinham à mão numa das suas visitas exploratórias às minas. E o que havia era Rum, limas e açúcar.

Mas a neta de Jennings conta uma história diferente, segundo a qual Jennings organizou uma festa para amigos americanos e o Gin acabou, tendo ele resolvido começar a servir Rum. Para não o servir puro, juntou lima e açúcar e a mistura teve um sucesso imediato.

Segundo o livro de Basil Woon, “When it´s Cocktail Time in Cuba” lançado em 1928, o nome foi algo que surgiu mais tarde, quando Jennings em conjunto com outros trabalhadores das minas já tinham por hábito beber o cocktail no Bar Santiago Venus. Juntos decidiram que, se tinha sido na pequena localidade de Daiquiri que primeiro tinham provado a bebida, esse devia ser o nome do cocktail. É de salientar que o livro de Woon tem por base documentos reais, e que a receita original do Daiquiri consta das páginas do diário pessoal de Jennings. Nessa receita com medidas para seis pessoas, Jennings menciona o sumo de seis limões, seis colheres de chá de açúcar, seis medidas de Bacardi Carta Blanca e  muito gelo picado.

Embora a receita mencione sumo de limão, é mais provável que Jennings tenha usado limas, pois esta fruta é nativa de Cuba, onde são chamadas de limón o que pode ter causado o mal entendido.

O facto é que o Daiquiri resistiu ao tempo e às muitas transformações e variações que a sua receita sofreu ao longo das décadas.

Das muitas versões criadas, o The Hemingway Special é uma das mais célebres. A bebida favorita de Ernest Hemingway ainda é servida no La Floridita, bar mítico de Havana onde o escritor era cliente habitual. Hemingway comentou certa vez sobre o Daiquiri: “That´s good but I prefer it without sugar and with double rum”, Constantino Ribalaigua Vert, Bartender do La Floridita cortou no Xarope de açúcar, juntou licor de Maraschino e sumo de toranja à receita original do Daiquiri e assim nasceu o The Hemingway Special a que Hemingway muitas vezes chamava Papa Dobles. Conta-se que o escritor chegava a beber 12 Papa Dobles numa noite.

As variações com sabores de frutos são muitas, Daiquiri de morango, de banana ou ananás. A receita clássica evoluiu e há receitas modernas que incluem Cointreau ou licor Maraschino.

Seja qual for a nossa preferência o Daiquiri é uma homenagem ao Rum e trás consigo o sabor tropical que é intemporal.

Um verdadeiro Clássico!

 

Daiquiri Step by Step

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter