O que é um Vermute? Uma mistura de vinho com botânicos aos quais não pode faltar uma espécie de Artemisa a planta do absinto, açúcar e vinho.

A qualidade destes ingredientes é primordial para o resultado final, mas na maior parte das vezes não sabemos o que realmente faz parte da receita do Vermute que bebemos. De onde vem o Vinho base, por exemplo? Com que álcool é parada a fermentação?

Foi questões como estas que David Ríos veio a Portugal esclarecer em três masterclasses sobre o Vermute La Quintinye, aquele que ele considera que provavelmente é  “o Vermute mais natural no mercado.”

Saído da mente de Jean-Sébastien Robicquet, o Vermute La Quintinye é natural e artesanal feito com base no Vinho francês Pineau De Charentes e fortificado com Cognac. Da sua composição fazem parte botânicos que se dividem entre plantas e especiarias e não falta a flor de uva, ingrediente tão apreciado por Jean-Sébastien Robicquet e que é parte integrante de um dos seus produtos mais conhecidos, o Gin G’Vine.

La Quintinye é um nome inspirado em Jean-Baptiste de La Quintinye, um excecional botanista e visionário nascido em Charente em 1624 e que esteva a cargo de rei Luís XIV criando para este o “Potager Du Roy” no Palácio de Versailles.

Os valores deste botânico conjugado com o vasto conhecimento de Jean-Sébastien Robicquet sobre o terroir da região e métodos de produção levaram à criação de uma coleção de três Vermutes: La Quintinye Rouge, Blanc e Extra-dry.

David Ríos veio contar-nos tudo isto e falar-nos naquilo que considera ser o renascimento da categoria de Vermutes, “porque os números mostram que os clientes procuram cada vez mais cocktails com pouco álcool e o Vermute tem cada vez mais procura.”.

Mais do que nos vender um produto, David Ríos, vencedor Global da WorldClass 2013, veio apresentar a ideia de que o Vermute é uma categoria em crescimento, assim como é a preocupação dos clientes com a saúde e a qualidade dos produtos que consomem, e nesse caso La Quintinye tem o argumento perfeito, “é um Vermute natural e de produção artesanal, sem adição de qualquer conservante ou corante, cuja rastreabilidade dos vinhos base é possível de fazer e a qualidade do álcool usado para cortar a fermentação possível de atestar.” afirmou.

Na masterclass provaram-se nove Vermutes, não para dizer qual o melhor, mas sim para se compreender as diferenças entre marcas e ver que cada Vermute tem a sua personalidade própria.

Saimos da Black Pepper & Basil, na passada sexta-feira, com a certeza que La Quintinye é um produto feito com cuidado e pensado para a renascença do mundo da coquetelaria que temos vivido nos últimos anos.

David Ríos esteve ainda no Hotel Conrad Algarve no dia 25 de outubro e depois seguiu para o Porto onde no dia 26 esteve no Royal Cocktail Club para uma Masterclass e um Guest Bartending.

A viagem por Portugal acabou na noite sexta-feira, dia 27 de outubro com um Guest Bartending no Red Frog em Lisboa.

 

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter