Whiskey, Vermute e Bitters é esta a simples composição de um Manhattan. Podemos argumentar sobre as mais-valias de usar Whiskey de centeio e Bourbon ou sobre os rácios a usar de cada um dos ingredientes, mas não podemos deixar de  apontar a simplicidade desarmante de uma receita com três ingredientes.

Contam-se várias versões sobre este clássico inventado no final do século XIX, mas todas apontam para que tenha sido criado em Nova Iorque, talvez no Manhattan Club para celebrar uma vitória eleitoral de Samuel Jones Tilden, talvez por um Bartender chamado Black que trabalhava num bar entre a Houston Street e a Broadway. As histórias a que se perde o rasto ajudam a criar o mito e o Manhattan parece ter surgido muito antes da vontade de misturar o Vermute com bebidas espirituosas estar em voga.

Na próxima edição da revista Drinks Diary vamos olhar para a biografia do Manhattan e tentar conhecer melhor este cocktail clássico.

Queremos também conhecer os Manhattans dos Bartenders portugueses e por isso estamos à procura dos vossos twists neste cocktail clássico.

O que consideramos um twist num Cocktail? Um toque pessoal, que possa ser justificado e principalmente que não esqueça o ADN da receita.

Envia-nos a receita e uma fotografia ilustrativa do teu cocktail para angela@drinksdiary.com e podes vir a vê-lo publicado na décima edição da revista.

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter