Em teoria, deveria de ser um cocktail relativamente simples de fazer, até porque não tem mais do que dois ingredientes, na prática, é talvez o cocktail mais debatido em todo o mundo! Sobre ele escreveram-se livros inteiros, foi capa de revistas tantas vezes que se tornou o mais icónico cocktail de sempre!

 

1. Um Martini é apenas Gin ou Vodka e Vermute Seco. Pomos, para já, de parte os milhares de outras combinações acabadas em “Tini” como os Apple-Tini, os Chocolat-Tini, entre outros.

2. Gin ou Vodka a escolha é sua. A vodka por definição não tem sabor nem aroma e a maioria apresenta o teor alcoólico de 40º, o que as diferencia é o ingrediente base. Os mais usados são o trigo, o centeio e a batata. Já na escolha do gin uma das questões a ter em conta é o teor alcoólico que varia bastante, um gin clássico andará à volta dos 40º já um navy strength à volta dos 57º. O gosto pessoal é um fator chave na escolha uma vez que os gins variam em sabor e aromas conforme os botânicos com que são destilados.

3. O Vermute a usar deve ser sempre um Vermute seco. Não o confundamos com o Vermute Bianco! O Vermute é um vinho fortificado e deve ser manuseado como tal. Colocar um speed pour na garrafa é algo a evitar a todo o custo! Depois de usada, deve-se guardar a garrafa fechada no frigorifico de modo a que o produto não perca os aromas e os sabores frescos.

4. Dry Martini, Wet Martini, muito, pouco ou nada. É decidir! O rácio entre os dois líquidos continua a ser um debate aceso. Sir Winston Churchill gostava de beber os seus Martinis sem qualquer adição de Vermute, bastava que olhasse para a garrafa de Vermute enquanto preparava o seu Gin Martini e isso era o suficiente. Já Ernest Hemingway gostava de lhe chamar Montgomery o mesmo nome de um general que não atacava se não estivesse em vantagem de 15 para 1. Se o Martini ficou cada vez mais Dry, a verdade é que de início até era bastante Wet como a versão mencionada no Bartender’s Manual de Harry Johnson a incluir partes iguais de Vermute e Gin ou o Hoffman House Martini com o rácio de 5 para 1.

5. Servir com peso e medida. Acima de 120ml é demasiado acima! Pode ter ficado com a ideia de que estava a servir bem o cliente. Mas a temperatura é algo de extrema importância nesta bomba alcoólica que se pretende o mais gelado possível. Por ser uma bebida forte, leva o seu tempo a consumir, fazer um Martini com 150ml torna penosos os últimos travos do cocktail que estarão por essa altura perto da temperatura ambiente.

Dry Martini Cocktail

Dry Martini Cocktail

6. A temperatura do Martini é importante! Há quem mantenha os espirituosos no congelador, no entanto quando a temperatura está muito baixa fica demasiado próxima da temperatura do gelo a usar na sua elaboração e por isso obtém-se menos diluição. Á que ter em atenção este ponto, pois a diluição é essencial para tornar este cocktail de elevado teor alcoólico mais apelativo.

7. Shaken, Not Stirred! É como gosta James Bond, mas a técnica a usar deve ter em conta vários fatores. De novo a temperatura, ao usar o Shaker obtém-se uma mistura mais gelada que ao fazê-lo no mixing glass. Por outro lado, a diluição é maior quando se usa o Shaker. Regra geral em cocktails em que os ingredientes são líquidos provenientes da garrafa, logo fáceis de misturar, usa-se o Mixing Glass, ou até mesmo mistura-se diretamente no copo, será o caso do Manhattan ou do Negroni, entre outros. Se usar o Shaker, aconselha-se fazer double strain quando verter para o copo, de modo a evitar os pequenos pedaços de gelo, que depressa irão diluir-se e aguar ainda mais o Martini.

8. O Copo para servir o Martini deve ser gelado e agarrado pela “garganta”. Um famoso copo em forma de V que em muitas partes do mundo, passou mesmo a ser apelidado de “Copo Martini”. Se possível deverá estar no congelador e sair de lá com aquele ar meio embaciado pela baixa temperatura, não sendo possível, no mínimo deverá ser gelado com gelo e água durante a elaboração do Martini. E tal como um copo de vinho deve agarrar-se pelo pé, mantendo o calor das mãos longe do líquido.

9. Um twist de limão ou uma azeitona verde. São as decorações mais usadas. Mas há diversas variações. Se em vez de decorar com azeitonas usar duas cocktail onions está a fazer um Gibson. Se adicionar um pouco da água das azeitonas e decorar com três azeitonas está a preparar um Dirty Martini… A lista é longa! O nosso favorito, vocês perguntam? Azeitona verde recheada com blue cheese.

10. Pediram um Naked Martini? É um Martini em que o Gin ou Vodka é servido diretamente do congelador para o copo sem que este seja misturado no mixing glass ou shaker. Simples.

Dorothy Parker

Dorothy Parker

“I like to have a martini, Two at the very most.

After three I’m under the table, after four I’m under my host.”

Dorothy Parker

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter