Procurar a história por detrás de um cocktail clássico é sempre uma aventura recheada de contrainformação, de várias versões, diferentes indicações geográficas e personalidades.

O Negroni não é excepção! No entanto é consensual que este cocktail foi criado no ano de 1919 no Caffé Casoni. Este café que ainda hoje existe foi rebatizado de Caffé Giacosa e é propriedade do designer de moda Roberto Cavalli, fica no centro da cidade de Florença em Itália.

Reza a história que o Conde Camillo Negroni, nascido em 1868 em Florença e filho de uma família abastada passou uma parte da sua vida na América e mais tarde no Reino Unido onde teve contacto com o Gin antes de decidir voltar para a sua terra natal em Itália.

Já em Florença tornou-se um cliente habitual do Caffé Casoni, ponto de encontro de aristocratas da cidade e onde trabalhava Fosco Scarselli, Bartender numa época em que o Aperitivo era já algo enraizado na cultura italiana, o cocktail Americano era por isso um cocktail que fazia regularmente. O Americano era já por si um derivado do Milano – Torino que juntava o que de melhor se fazia em Milão, o Campari, com o melhor do que se fazia em Turim, o Vermute. Servia-se num copo alto e com gelo ao que se acrescentava água gaseificada.

Até que um dia, o Conde Negroni, um pouco farto de beber Americanos, lhe ocorreu de pedir a Fosco Scarselli para substituir a água gaseificada por algo mais forte, neste caso algo que o remetia para as sua vida passada em Inglaterra, o London Dry Gin.

O Negroni passou a ser, a partir desse momento, o pedido habitual do Conde Negroni e outros lhe seguiram as pisadas o que tornou o cocktail popular entre os clientes que começaram a pedir um “Americano à maneira do Conde Negroni”. Fosco Scarselli decide então chamar a esta variação do Americano, Negroni.

negroni
negroni 1
negroni 2
negroni 3
negroni 4
negroni 5

Ao longo dos tempos vários twists foram feitos à receita de Scarcelli, podemos destacar dois. O Boulevardier que surge cerca de uma década depois em Paris, em que substituiu o Gin pelo Bourbon mantendo o Vermute e o Campari o que cria uma bebida mais rica e complexa, um excelente aperitivo para dias mais frios. O outro será o Negroni Sbagliato que apareceu mais tarde, em 1968 no bar Basso em Milão. O autor foi Mirko Stocchetto, falecido a 10 de novembro do ano passado, com 86 anos de idade. Sbagliato significa – por engano, e foi o que Stocchetto fez, serviu um Negroni mas substituiu o Gin por Prosecco, uma bebida frisante e muito italiana.

Hoje em dia é consensual, o Negroni é o cocktail que temos em mente quando falamos de um cocktail aperitivo. É apreciado por Bartenders em todo o mundo e o cocktail favorito de muitos. O sucesso do Negroni é também a prova irrefutável de que para se criar um cocktail, muitas vezes “less is more”, não só no que diz respeito às quantidades como ao número de ingredientes.  Não é necessário complicar a receita para se obter um bom cocktail.

Se não quiser complicar, sugerimos o uso de medidas iguais. O Vermute contribui com a sua doçura e complexidade de botânicos, que por sua vez tendem a complementar os botânicos usados no Gin, que é a bebida que que traz força a este cocktail. O Campari equilibra a doçura do Vermute com a sua amargura característica ao mesmo tempo que enlaça o seu sabor predominante herbal e de laranja amarga com os botânicos do Gin e do Vermute. Sirva num copo old fashioned com gelo, decorado com uma rodela de laranja ou apenas um zest de laranja.

Nós dizemos, divinal! Salute!  

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter