É um lugar comum, mas é a mais pura verdade,  são quase dois anos de trabalho para chegar até esta décima edição e pelo caminho fomos construindo relações, mudando paradigmas e tentando trazer connosco todos aqueles que fazem da indústria de bar o seu dia a dia.

Mas quando um não quer, dois não dançam. E este é um tango para ser dançado a dois!

Porquê esta reflexão? Porque à data de hoje ainda recebo abordagens que me questionam o porquê de ter falado do facto A e não ter mencionado o B, já me fizeram notar que por vezes parece que falamos sempre dos mesmos ou sabemos por portas travessas o que vai acontecendo pelo país, quando apelamos a todos que nos façam chegar a informação.

Se no início, quando lançámos a revista, isto nos parecia normal, hoje em dia achamos apenas que é falta de visão daqueles que não nos fazem chegar a informação à redação.

Vivemos num mundo sobrecarregado de dados, recebo todos os dias um sem número de press releases, abrimos as redes sociais e somos completamente atropelados por tudo o que acontece no mundo, de bom e de mau e por isso é virtualmente impossível acompanhar o trabalho de todos os intervenientes da nossa indústria.

Todos os bares que têm um novo menu para lançar e que gostariam de lhe dar destaque, todos os Bartenders que mudaram de posto de trabalho, todos os eventos e produtos novos a sair no mercado, como é possível acompanhar tudo isto se não forem os próprios a manter um canal de comunicação aberto connosco?

Somos o meio especializado em Portugal e ainda assim muitas vezes percebemos que a notícia não nos chega primeiro a nós, não somos o megafone de outros meios, não passamos a informação em segunda mão, somos o meio especializado, cabe aos Bartenders, às marcas e a todos os intervenientes serem ativos e abraçarem o projecto que é seu.

Em quase dois anos de atividade este paradigma já mudou muito, tem sido uma batalha porque os mesmos que se queixam de que os deixamos na obscuridade são os mesmos que não fazem um press release a informar que vão abrir um bar. Porque não sabem usar esta ferramenta preciosa que é a comunicação.

Somos uma espaço aberto pedimos em várias ocasiões a participação do leitor, quer seja através do envio de receitas, através de entrevistas e estamos sempre prontos para provar, visitar e apoiar novos projetos.

Somos um meio de comunicação mais próximo da comunidade de profissionais e estamos a fazer um caminho consistente, a crescer enquanto comunidade porque aqueles que nos lêem são cada vez mais, aqueles que perceberam as mais valias de estar nas nossas páginas também.

As nossas redes sociais crescem consistentemente a cada mês que passa, quer o nosso site, como o facebook e o instagram são atualizados frequentemente e levam até todos informação útil, que fortalece os laços entre a comunidade, que dá rosto a quem está atrás dos bares, humaniza as marcas e solidifica a importância do nosso setor na economia nacional.

Como é que construímos isto em dois anos? Com o apoio de todos os que nos fazem chegar informação. Com todos os que tomaram a iniciativa e se auto-promoveram.

Tenho em mente para a próxima edição um artigo sobre esta questão, creio que muitos não o fazem por puro desconhecimento da dinâmica que devem criar connosco.

Nisso ainda estamos bem longe do que se faz por essa Europa, mas também aí há um caminho a ser feito, e Portugal já demonstrou que vamos devagar, mas chegamos lá!

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter