São 3000 as garrafas produzidas deste Quinta do Crasto Colheita 1997, o primeiro Tawny velho produzido a partir de uma única colheita pelo produtor duriense de vinhos e azeites.

Desta 3000 apenas 600 ficarão em Portugal e as restantes serão distribuídas um pouco por todo o mundo.

O Quinta do Crasto Porto Colheita 1997 é produzido com base de uvas provenientes exclusivamente de vinhas velhas, com uma média de idade de 60 anos, e envelhecido em cascos de carvalho desde o ano de vindima até ao engarrafamento. A cor âmbar brilhante dá lugar a uma excelente complexidade aromática onde se destacam elegantes notas de mel e frutos secos. Um vinho envolvente e sedutor, que termina de forma elegante e muito persistente.

Este vinho é apresentado como sendo uma homenagem da família a Fernando Moreira d’Almeida, filho de Constantino de Almeida, o fundador desta casa.

A partir de 1997, a família preservou barricas selecionadas de Vinho do Porto de cada colheita, com o intuito de cumprir o sonho do progenitor. Segundo Tomás Roquette, administrador da Quinta do Crasto, “o vinho é um legado de família, um saber passado de geração em geração, que tem em cada colheita um novo capítulo. Por isso consideramos que o Porto Colheita é a nossa melhor homenagem. Cada edição representa um capítulo diferente da nossa história, como um álbum de memórias, que passamos agora a partilhar com o mundo”.

Chega às prateleiras nacionais pelas mãos da Heritage Wines ainda este mês com o P.V.P. de 42,50€.

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter