Quem não se lembra da velha garrafa de vinho do Porto que ficava aberta na garrafeira da Avó durante anos e só se servia no Natal? Retirava-se do móvel, ainda meio empoeirada estivesse frio ou quente e voltava-se a guardar.  Havia uma em todas as casas!

Hoje sabemos que o vinho do Porto exige cuidados, que nem sempre a temperatura ambiente é a temperatura a que o devemos consumir, quebrou-se o tabu de que o vinho do Porto apenas serve para as sobremesas e descobriu-se o admirável mundo de sensações que os diversos tipos de vinho do Porto nos podem induzir.

Eis cinco coisas que devemos saber sobre o vinho do Porto.

1. Tawny Versus Ruby: 1 dia ou meses, quanto tempo o vinho mantém as suas características após aberta a garrafa?

Sabemos que o Porto se divide em duas principais famílias: Os Tawny e os Ruby. Mas cada família tem muitos parentes e cada um deles tem caraterísticas que devem ser respeitadas. Há muito para saber nesta área, mas uma das coisas que os diferencia, é por exemplo, o tempo que uma garrafa conserva as características depois de aberta.  Assim sendo, e segundo o IVDP, estes são os períodos para o consumo em condições ideais:

Tawny:

Tawny  e Tawny Reserva:  3 a 4 semanas

Tawny com Indicação de Idade (10/20/30/40): Entre 1 a 4 meses.

Colheita: Entre 1 a 4 meses

Devemos ter em conta que quanto mais jovens os vinhos, menos tempo conservam as suas características depois de abertos.

Ruby

Vintage: 1 a 2 dias

LBV: 4 a 5 dias

Crusted: 4 a 5 dias

Ruby / Ruby Reserva: 8 a 10 dias

Possuir uma daquelas bombas que retiram o ar das garrafas pode ajudar a manter os vinhos em condições por um pouco mais de tempo. No entanto, há que ter em atenção que mesmo que os vinhos ainda estejam bons para consumo podem perder os sabores e aromas iniciais.

Vinho do Porto, Vinhas, Douro

Vinha no Douro © Drinks Diary

 

2. O vinho do Porto serve-se antes, depois ou durante a refeição?

O vinho do Porto é muito versátil e pode ser harmonizado com diversos tipos de alimentos. O mais comum é ser servido no final da refeição, com queijos, frutos secos ou doces como o leite creme ou outros que incluam caramelo.

A generalização dos Portos brancos alargou os horizontes e vemos o Porto a ser bebido antes da refeição como aperitivo ou até mesmo em situações informais em cocktais como o Porto tónico.

Nos últimos anos vários Sommeliers têm harmonizado vinho do Porto com refeições completas, comprovando a multiplicidade de opções que este oferece. 

3. Vinho do Porto e comida. Um pairing difícil de fazer?

Sendo um vinho fortificado, por isso mais doce e com mais álcool que um vinho de mesa, muitas pessoas têm dificuldade em saber com que o acompanhar.

Dependendo do tipo de Vinho do Porto, também diferentes harmonizações são sugeridas.

Por exemplo, um Porto Vintage poderá acompanhar bem um queijo de pasta mole como entrada, a seguir com um roast beef enquanto acompanhamento de prato principal e à sobremesa fazer par com uma Mousse de chocolate ou para os mais arrojados um queijo azul ou um roquefort.

Já um Tawny para começar a refeição acompanha bem queijos curados ou um Foie Gras. Faz bom par com carne recheada com frutos secos e para fechar a refeição uma tarte de amêndoa ou um leite creme.

Queijos fortes e frutos secos são boas opções para o vinho do Porto, assim como doces. O que não impede a degustação de um cálice de vinho do Porto per si.

Vinho do Porto, Port Wine, Winery, Adega

4. O Porto bebe-se á temperatura ambiente?

Em Portugal a temperatura ambiente é normalmente alta no verão e amena no inverno. Mas o interior das nossas casas rondará os 22º. Tal como para os vinhos de mesa esta é uma temperatura demasiado alta, também para os Portos o é. Dependendo do tipo de vinho do Porto há diferentes temperaturas ideias.

Porto Rosé: 4ºC

Porto Branco: 6-10ºC

Porto Ruby: 12-16ºC

Porto Tawny: 10-14ºC

O ideal será colocar a garrafa de vinho do Porto no frigorifico durante 15/20 minutos antes de servir.

5. Afinal aquela comparação com o Porto… Quanto mais velho melhor?

Um Porto Vintage ficará melhor com o passar dos anos, caso seja bem guardado e as uvas com que foi produzido de boa qualidade. Anos em que são declarados vintage terão maior propensão a se tornar grandes vinhos com os anos que envelhecerem na garrafa.

Já um Tawny envelhece nos cascos de madeira e a partir do momento em que é engarrafado deixa de evoluir. O tempo só o torna melhor antes de ter vindo para as nossas mãos, logo não vale a pena deixá-lo a descansar na prateleira.

Se for um vinho jovem, Tawny ou Ruby, um Porto branco ou rosé é sempre preferível consumir colheitas mais recentes, o tempo só fará com que percam as suas propriedades.

Vinho do Porto, Porto Wine, Adega, Winery, Gaia, Niepoort

PARTILHARShare on FacebookTweet about this on Twitter